Saiba quais peixes podem causar a doença da “urina preta” que já fez vitimas no Brasil

Em Recife, município de Pernambuco, o número de falecidos decorrente a Sindrome de Haff ou “doença da urina preta”, aumentou. E na última terça-feira (02), a médica veterinária Priscyla Andrade, de 31 anos, foi mais uma vítima da doença, que é causada por uma toxina após o consumo de peixe.

A veterinária estava internada desde o último dia 18 de fevereiro, após ter um mal-estar na casa da sua irmã, onde ingeriu o peixe.



Segundo estudos a doença está relacionadas a ingestão de tambaqui, olho de boi, pacu-manteiga, pirapitinga e o arabaiana, peixe consumido pelo jovem. Especialistas estão estudando para tentar descobrir se esses são os únicos peixes que liberam a toxina.

O peixe contaminado, mesmo cozido, libera a toxina no organismo e causa a síndrome que vem tendo um aumento de vítimas no estado. A doença é considerada rara.

Ainda não se sabe como os peixes estão sendo contaminados. Alguns estudos levam a crer que podem ser as algas marítimas que estão contaminadas ou também a falta de conservação do alimento antes dele ser preparado e ingerido.

Os primeiros sintomas podem aparecer até 24 horas depois do alimento ser ingerido. A urina preta pode ser um dos primeiros sintomas, que pode ser acompanhado de falta de ar, dor muscular, dormência e até perda de força.

Se a doença não for tratada com rapidez, ela irá levar o corpo a ter uma falência múltipla dos órgãos, insuficiência renal e até mesmo o óbito



Escrito por Rose